terça-feira, 31 de maio de 2011

"Estamos juntos"

O grande vencedor do Cine-PE estreia nesta sexta. ‘Estamos juntos’, dirigido por Toni Venturi, levou 6 prêmios entre eles melhor filme e atriz.
Na história, Carmen (Leandra Leal) é uma médica que tem no DJ Murilo (Cauã Reymond) seu melhor amigo. Vive entre ele e uma figura enigmática que não larga de seu pé, representado por Lee Taylor. Mas aí chega o espaçoso argentino Juan (Nazareno Casero), que vai conquistar a moça. Apesar da aparente confusão, está tudo bem nesse quadrado quando a notícia de um tumor cerebral abala sua vida.
Venturi faz de seu filme um hino de amor a São Paulo e seus habitantes de apartamentos classe média e cortiços da periferia ao mesmo tempo em que vai fundo na alma de seus personagens. Extrai com precisão cirúrgica ótimas interpretações de Leandra Leal e de Cauã Reymond, este cada vez mais chegado à tela grande.
A fotografia de Lula Carvalho (“Tropa de Elite” e “Budapeste”) é o suporte da força dramática de “Estamos juntos”.
Das poucas estreias da semana, o filme de Venturi pode ser a surpresa.
Uma grata surpresa.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Piratas e sereias.

“Piratas do Caribe – navegando em águas misteriosas”

Um fim de semana blockbuster: chega aos cinemas o quarto filme da franquia das aventuras do pirata Jack Sparrow.
Em “Piratas do Caribe – navegando em águas perigosas”, dirigido por Rob Marshall (de Chicago e Nine), Sparrow (Johnny Depp) está empenhado em encontrar a fonte da juventude, mas para isso terá que enfrentar o temível Barba Negra (Ian McShane), o capitão Barbossa (Geoffrey Rush), um amor do passado - Angelica (Penélope Cruz), um grupo de sereias de tirar o fôlego e mais algumas coisas.
Uma aventura estilo Indiana Jones dos mares, onde se luta até por um par de cálices para alcançar a tal fonte. Furacões que se apossam de corpos, transfigurando-os, estão lá numa citação ao filme “Em busca do cálice sagrado”.
Ao contrario dos anteriores, “Navegando em águas misteriosas” apresenta uma história mais linear, evitando narrativas confusas e personagens em demasia. Portanto, quem não viu nada dos Piratas vai se encantar com este que traz um plus da moda: foi todo filmado em 3D.
Com um custo de produção de U$ 200 milhões (a série faturou até hoje U$ 2,7 bilhões), tudo indica que virá um quinto filme por aí. Enquanto não chega é uma maravilha se deliciar com tiradas impagáveis como esta do Capitão Tigue (Keith Richards) num papo com Sparrow, seu filho:
- Pela minha cara dá pra ver que não encontrei a fonte da juventude.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Entrou areia.

‘Caminho da liberdade’ é uma das estreias desta sexta nos cinemas. Produzido, escrito e dirigido pelo australiano Peter Weir, dono de uma diversificada filmografia em que se destacam 'Sociedade dos poetas mortos', 'O show de Truman' e o thriller 'A testemunha'.

Na trama, o ano é 1940, na Polônia rachada ao meio entre a Rússia de Stalin e a Alemanha de Hitler. Januzc (Jim Sturgess) é acusado de espionagem após denuncia de sua mulher, torturada pelo exercito de Stalin.

Condenado a trabalhos forçados num gulag, empreende uma fuga ao lado do americano esquisitão Mr. Smith (Ed Harris) e mais cinco condenados. Caminham mais de 6.400 km atravessando geleiras siberianas, o deserto de Gobi, passando pelo Tibet até atingir a Índia.

Falta ao filme de Weir (sem filmar há 7 anos) densidade dramática e envolvimento emocional com seus personagens. Tudo indica que o diretor quer esconder as mazelas de seu roteiro com a belíssima fotografia de Russel Boyd.

Filmes inspiram, mas este eu duvido que vá lhe dar disposição para uma caminhada no fim de semana.

Ufa!!!